14 de fevereiro de 2013

Uma brisa soprou na Vila Poema (Constância) ...

... E lá, o poeta do Amor - Camões - olhando o Zêzere e sofrendo penas d' Amor exaltado, recebeu a brisa que lhe era apropriada por ser um eterno enamorado.
De caminho passei pelo Castelo de Almourol e fui até Tancos, vila ribeirinha, que disputa o espelho do Tejo com a vizinha aldeia de Arripiado, qual delas mais bonita e vaidosa. Aí também soprou uma brisa, bem emoldurada por essa paisagem que não me canso de admirar, com o Castelo ao fundo (meu Castelo encantado de princesas e dragões) que modera a disputa entre as duas margens do rio.
As mensagens ?? Bem, as mensagens eram poemas de Amor, ridículos concerteza ...

11 comentários:

  1. O Camões com o coração do lenço dos namorados! Encantador Roseira Brava, pois "O amor é fogo que arde sem se ver..."

    Beijinhos <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi mesmo esse o poema que lhe pus "na mão" ...

      Eliminar
  2. Gosto muito da foto da Brisa com o castelo de fundo :D
    Pena não ter escrito os poemas de amor :) certamente não seriam ridículos.

    Lufadas de Beijos

    ResponderEliminar
  3. Volto para dizer que as duas fotos estão muito bonitas, mas a 2ª com o castelo ao fundo e o rio reporta-nos ao tempo dos trovadores e das cantigas de amor. Obrigada por este momento <3

    ResponderEliminar
  4. Andaste bem pertinho de mim... se calhar ainda nos cruzámos na estrada :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por acaso, simplesmente por acaso, ainda pensei: "Vou encontrar uma brisa da Joana na mão do "meu" Luís de Camões": Mas afinal não! Que eu também não ia retirá-la, punha a minha lá pertinho e o achado seria a dobrar. Ontem aquele espaço estava cheio de gente. Espero que o tenham achado com carinho.

      Eliminar
  5. Ahhh...o Castelo que também é o meu :) Lindo, sempre lindo o nosso castelo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tentei tirar uma foto mesmo lá, mas como o sol estava de frente não ficaram bem. Depois essa foto do Cais de Tancos ... acho-a linda !! Só tenho pena que o coração tenha ficado com as cores apagadas... mas ainda se vê a palavra Amor.

      Eliminar
  6. Essa brisa está mesmo uma poesia... muito lindo o coração!

    Beijinhos <3

    ResponderEliminar
  7. Adorei tudo, mesmo.
    Até me apeteceu sentar perto do Luis de Camões
    e simplesmente ler alguns dos belos poetas
    que ele nos brindou.
    Gosto de poetas e gosto deste poema:

    Amor é fogo que arde sem se ver,
    é ferida que dói, e não se sente;
    é um contentamento descontente,
    é dor que desatina sem doer.

    É um não querer mais que bem querer;
    é um andar solitário entre a gente;
    é nunca contentar-se de contente;
    é um cuidar que ganha em se perder.

    É querer estar preso por vontade;
    é servir a quem vence, o vencedor;
    é ter com quem nos mata, lealdade.

    Mas como causar pode seu favor
    nos corações humanos amizade,
    se tão contrário a si é o mesmo Amor?



    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O poema que deixei com "ele" era esse mesmo, já que fala de Amor exaltado, sofrido, contente, enfim tão contrário a si próprio. E "ele" não está lindo? Podias não só sentar-te perto dele como até ao colo dele ... :-)

      Eliminar