4 de fevereiro de 2013

O meu sussurro no vento...


Olá,
Eu sou a Joana e sou de Vila Nova da Barquinha. Confesso que adoro o vento. Adoro sentir o vento na cara, como uma carícia que nos traz notícias e cheiros. O vento traz-nos sussurros de longe, histórias que querem ser contadas. Quem sabe não nos poderá trazer o amor?

Adoro escrever e ler. Não me consigo imaginar sem ler e sem escrever. Escrevo essencialmente cartas. Ajudam-me a meter as ideias em ordem, a perceber o que sinto e o porquê das coisas. Uma das minhas aventuras incomuns foi escrever cartas a desconhecidos. Escolhia as moradas nas listas telefónicas e mandava cartas sem remetente. A ideia? Talvez fazer as pessoas refletirem. Pararem um pouco e pensar na vida, no que os rodeia.



Tenho um lado doce, embora eu própria às vezes desconfie dele. O mais conhecido é o lado nocturno, sombrio… Daí que as minhas imagens de perfil sejam maioritariamente góticas.

Fotografia de Carlos Vicente
 
Ao deixar corações tento encontrar esse lado doce que penso perdido em mim. E ao encontrar-me a mim espero que outros também se encontrem. E que aqueles pequenos corações tragam um sorriso, uma nova esperança a todos aqueles que precisam deles.

Não sou muito “prendada” em trabalhos manuais. Vou conseguindo manejar a linha e a agulha. A grande descoberta foi o origami que vou tentando aprender sempre mais. Por isso este projecto é sempre um desafio.

Despeço-me com um excerto de um poema de Fernando Pessoa que para mim significa muito.

“Às vezes, em sonho triste
Nos meus desejos existe
Longinquamente um país
Onde ser feliz consiste
Apenas em ser feliz”

22 comentários:

  1. Olá Joana,

    Também gosto muito do vento e por vezes também fujo do meu lado doce e recoheço muito bem o sombrio que se manifesta mais vezes. Dou lugar aos dois e estou neste projeto porque quero, e preciso, que o lado doce se manifeste ainda mais e "cure" o lado que não sabe sorrir.
    Beijinhos e bons ventos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Willow.
      Um beijo enorme!

      Eliminar
  2. Olá Joana!
    Ao contrário de ti e da Willow, confesso que não era muito amiga do vento e que por vezes até me sentia um pouco irritada com a sua presença, mas desde hoje que comecei amá-lo e quando ele vier de novo ter comigo, vou abrir os braços e dançar com ele uma valsa sem fim, ao som do seu sussurro.
    Que o teu lado doce seja sempre visivel, porque tu és doce!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isabel, de cada vez que o vento te acariciar a face serão beijos de todos nós que ele te entregará. Por seres uma pessoa fantástica. Vais ver que não há coisa melhor que abrir os braços ao vento e rodopiar.

      Um beijo enorme e obrigada!

      Eliminar
  3. Tinhas de trazer esse castelo feio, sujo e mau.... :-D

    Não é nada, é totalmente o oposto! Adoro-o... Obrigado por teres vindo. <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Shiuuuu.... não digas mal do meu castelo que é o mais lindo do país. Para a próxima afogo-te durante a travessia...

      Obrigada. Eu sei que só dizes essas coisas da boca para fora :D

      Beijo!

      Eliminar
  4. Obrigada pelo poema de Fernando Pessoa. Este Pessoa Poeta que nos encanta sempre que o lemos e do qual nunca nos cansamos.
    Um abraço muito grande <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De nada! Este excerto acompanha-me há imenso tempo. Aliás, penso torná-lo num autocolante de parede para colocar por cima da minha cabeceira.

      Um beijo enorme e mágico!

      Eliminar
  5. Quanta sensibilidade, Joana...

    Adorei imenso ler-te e conhecer um pouco mais o que te vai na alma...
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Pats!

      Beijo grande!

      Eliminar
  6. Olá Joana :0)
    Adorei essa ideia de escrever cartas a desconhecidos, muito bom mesmo.
    Adorei a fotografia e o poema :D
    Beijinhos

    Lufadas de beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Alexandra.
      A ideia de escrever a desconhecidos foi assim uma maluquice. Para eles não sei se terá sido assim tão bom. Afinal tinham de me ler :P

      Um beijo grande!

      Eliminar
  7. Olá Joana :) Eu tenho muita afinidade com o ar em geral, talvez seja do signo não sei, não gosto de grandes ventanias mas até essas muitas vezes são sinais de mudanças necessárias.

    Gostei muito da tua delicadez.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Poppy! O meu signo também é ar. O que faz de mim uma pessoa muito aérea, talvez... Mas gosto do vento. De senti-lo a passar. Sabe muito bem.

      Beijo grande!

      Eliminar
  8. adorei a tua ideia de enviar cartas a desconhecidos.
    Confesso que se eu tivesse recebido, iria achar muito estranho, bizarro e qualquer coisa saida de um filme de terror.... mas agora até ia achar graça!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Cristina,

      sim, penso que os desconhecidos que receberam cartas minhas terão pensado isso mesmo. Ou passaram-me o final atestado de maluquice.

      Beijokas

      Eliminar
  9. A apresentação é linda, aberta, quase uma confissão de um coração sensível. O poema é lindo (não conhecia) e o Castelo ... é o meu Castelo encantado.
    Também tenho um hábito (se calhar maluco) de imprimir poemas, pensamentos, frases motivacionais, e colar na parede da cozinha, para estar sempre à vista. Agora, que estou a passar por um período menos bom devido a doença da minha mãe, tenho esta frase (que conservo há longos anos comigo) : "Concede-me, Senhor, Serenidade para aceitar as coisas que não posso modificar,Coragem para modificar as coisas que posso e Sabedoria para conhecer a diferença".
    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Roseira Brava pelas palavras e pelo carinho.
      O castelo tem um aura de encanto. Estamos sempre à espera de ver uma moura encantada nas torres do castelo. À conta disso é que tenho a paranóia de lá ir acampar na noite de são joão para ver os fantasmas :D

      Um beijo grande!

      Eliminar
    2. Dessa nunca me tinha lembrado, quer dizer, nem lembra ao S. João. Sou muito valente, ou seja, tenho medo do escuro na natureza, de ser assaltada, dos bichos rastejantes e... também de fantasmas. Não acredito neles, mas se ouvisse um rastejar de correntes dava-me uma coisinha má. Castelos para mim só à luz do dia.
      Beijo

      Eliminar
  10. "As vezes ouço passar o vento; e só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido", já dizia o nosso Fernando Pessoa... quanto mais não fosse para te "conhecer", já valeu a pena participar neste cantinho de afectos :-))

    Adorei a ideia das cartas!

    Beijinho!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh, que querida! A sério que quando me meti nestes projectos não esperava encontrar uma "família" tão boa e carinhosa. Muito obrigada por tudo!

      Beijo enorme!

      Eliminar